O Ano em Palavras
0
loading

Facebook passa a chamar-se Meta, mas aplicações não mudam de nome

Oakland, 28 out 2021 (Lusa) – O diretor executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou hoje que a empresa vai mudar de nome para Meta, numa tentativa de abranger a sua visão de realidade virtual para o futuro, a qual designa por “metaverso”.

As aplicações Facebook, Instagram, Messenger e WhatsApp não irão, no entanto, mudar de nome, assim como a estrutura corporativa da empresa também não irá sofrer alterações, mas as suas ações passarão a ser negociadas sob a designação “MVRS” em 01 de dezembro.

Os críticos apontam, no entanto, que a mudança parece ser uma tentativa de desviar as atenções dos ‘Facebook Papers’, um conjunto de documentos confidenciais que foram expostos e divulgados por um consórcio de órgãos noticiosos, incluindo a Associated Press (AP).

Muitos desses documentos, mencionados pela primeira vez por Frances Haugen, uma ex-funcionária do Facebook que se tornou denunciante, revelam como a empresa fundada por Mark Zuckerberg ignorou ou subestimou avisos internos sobre as consequências negativas e prejudiciais causadas pelos algoritmos da rede social em todo o mundo.

Zuckerberg diz esperar que o “metaverso” alcance mil milhões de pessoas durante a próxima década e seja um lugar onde as pessoas poderão interagir, trabalhar e criar produtos ou conteúdos no que espera ser um ecossistema que irá criar milhões de empregos para criativos.

O diretor executivo justificou a mudança de nome afirmando que “Facebook” não abrange tudo o que faz a empresa que inclui, além da rede social principal, o Instagram, o Messenger, a Quest VR e a plataforma Horizon VR, entre outras.

“Hoje somos vistos como uma rede social, mas no nosso ADN somos uma empresa que desenvolve tecnologia para conectar pessoas”, justificou Zuckerberg.

SYL // PDF

Lusa/Fim

 

O ano em palavras

2021

 

O Ano em Palavras apresenta algumas das palavras mais pesquisadas ao longo do ano no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, associadas a acontecimentos nacionais e internacionais que se destacaram a nível político, económico, cultural ou social.

 

Em 2021 os efeitos da covid-19 ainda se fizeram sentir nas pesquisas dos utilizadores do Dicionário Priberam, a par do interesse despertado por catástrofes naturais, crises sociais, operações mediáticas, feitos desportivos ou faits divers ocasionais.

 

Pelo quinto ano consecutivo, a parceria com a agência Lusa permite ilustrar cada palavra com uma notícia e uma fotografia, fazendo assim um retrato rápido do ano de 2021.

 

As palavras são apresentadas cronologicamente, de janeiro a dezembro, duas por cada mês, com a possibilidade de clicar na sua definição ou na notícia correspondente para saber mais.